01 – TEM GENTE COM FOME

 

Solano Trindade foi um poeta, ator, teatrólogo, pintor e produtor cultural brasileiro. Nascido em 24 de julho de 1908 em Pernambuco-RE, foi criador e co-criador de projetos artístico-políticos por diversas cidades do Brasil: Grupo de Arte Popular (Pelotas-RS), o Comitê Democrático Afro-Brasileiro junto a Abdias Nascimento (Rio de Janeiro-RJ) e o Teatro Popular Brasileiro (São Paulo-SP), junto à sua esposa Maria Margarida e ao sociólogo Edison Carneiro, são exemplos. Solano marca o teatro nacional trazendo a cultura popular, especialmente de matriz afro, para os palcos. Nos anos 60, muda-se para Embu das Artes-SP e, nela, deixa um importante legado cultural. É também nesta década que o ator faz diversas apresentações no continente europeu, atraindo grande público. Vive o período ditatorial no país, no qual sua obra ganha tons mais entristecidos, sem nunca abandonar seu engajamento político-racial. Faleceu em 1974, no Rio de Janeiro-RJ.

O poema desta publicação, “Tem Gente com Fome” (1961), não-coincidentemente relembra o poema de Manuel Bandeira, “Trem de Ferro”, numa perspectiva menos bucólica da realidade brasileira – a vista do trem, o hábito do “café com pão” –  para uma mais militante e crítica – denunciando as mazelas da desigualdade social brasileira, com o verso que substitui a leveza de Bandeira: “tem gente com fome”. Portanto, ficamos com esta reflexão maquinando em nossas mentes hoje, repetitiva como o poema e como o ruído do trem: tem gente com fome, tem gente com fome…

 

 

Uma Negra Brasileira
Página dedicada à Literatura, especialmente àquela escrita por mãos negras. Convido-te, também, para ver o Mundo através da minha escrita pessoal e, por que não?, da minha literatura.
UMA NEGRA BRASILEIRA

 

Compartilhe este conteúdo nas suas redes sociais!

Leave Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

pt_BR
en_US pt_BR